Este blog está encerrado.

O autor continua a publicar em http://jvnande.com.

Se quiser ler uma selecção de textos, clique aqui.

o pequeno almoço de campeões

Tenho-me andado a rir no eléctrico com Vonnegut e coisas como
A história em si tinha como título: «O Bailarino Louco». E como muitas histórias de Trout focava um trágico problema de falta de comunicação.
Era este o resumo: uma criatura chamada Zog chegara à Terra num disco voador para explicar a forma de evitar guerras e de curar o cancro. Trazia as informações de Margo, um planeta em que os nativos comunicavam por traques e sapateado.
Zog aterrou em Connecticut durante a noite. Mal tocara o solo quando avistou uma casa em chamas. Dirigiu-se apressadamente à casa, dando traques e sapateando para avisar as pessoas do terrível perigo que corriam. O dono da casa fez saltar os miolos de Zog com um taco de golf.
e assim por diante, mas, a cem páginas do fim, no que me parece ser o início de um terceiro acto, o próprio narrador-autor entra no texto e, olhando para o encontro das personagens num bar, diz
Com a aproximação do meu quinquagésimo aniversário, tornara-me cada vez mais revoltado e desiludido pelas decisões idiotas tomadas pelos meus compatriotas. E depois começara subitamente a lamentá-los, porque eu compreendi que ao comportarem-se abominavelmente e com resultados tão abomináveis o faziam inocente e naturalmente: davam o seu melhor para agirem como as pessoas inventadas nos romances. Era este o motivo por que os Americanos disparavam uns contra os outros tão frequentemente: era um mecanismo literário conveniente para finalizar contos e romances.
Porque é que tantos Americanos eram tratados pelo governo como se as suas vidas fossem tão fáceis de dispor como lenços de papel? Porque era essa a forma como os autores costumavam tratar os personagens dos contos que inventavam.
E assim por diante.
Quando compreendi o que estava a tornar a América uma nação tão perigosa e infeliz de pessoas que nada tinham a ver com a vida resolvi abandonar toda essa mentira literária. Escreveria sobre a vida. Todas as pessoas seriam igualmente importantes. A todos os factos daria igual importância. Nada ficaria de parte. Ao deixar que os outros ordenassem o caos, decidi estabelecer o caos na ordem, o que julgo ter conseguido.
Se todos os escritores procedessem assim, talvez os cidadãos sem interesses literários comerciais compreendessem que não existe a ordem no mundo que nos rodeia e que em vez disso nos devemos adaptar às exigências desse caos.
A adaptação ao caos é difícil, mas não impossível. Eu sou uma prova real de que se pode fazer.
o que, em si, é todo um programa. Fiquem a saber que o meu exemplar do livro é uma primeira edição portuguesa de 1973, tradução de Maria Emília Ferros Moura e edição de uma tal Futura. Nunca ouvi falar desta editora e nada sei para além do que o livro me diz - que de Vonnegut editou também Matadouro 5 e que tinha sede na Avenida 5 de Outubro, n.º 317, 1º andar. A tradutora, vejo, foi-o também de vários títulos de ficção científica. Mais alguém tem informações sobre isto?

3 Comentários:

Blogger agarb disse...

qual é o nome desse livro mesmo?

fiquei com vontade de ler as desventuras desse senhor!!!

2:57:00 da manhã  
Anonymous jvn disse...

É mesmo "Pequeno almoço de campeões" ;)

10:09:00 da manhã  
Anonymous Luis O. disse...

Essa editora já não existe mas editava bizarrias divertidas. Hei-de procurar dois ou três livros que tenho sei lá lá onde.
"E sorriu, porque sabia que o sexo depende da beleza dos incisivo", é a frase inicial de SEXO 20, um livro de um autor com um nome tão anódino como Santos Fernando.
Há uns três anos enviei uma carta para a morada da editora. Nunca obtive resposta. Na missiva dizia chamar-me Júlio, ter 12 anos e ter acabado de estrear uma arca congeladora :)

5:27:00 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home

« Home | Próximo »
| Próximo »
| Próximo »
| Próximo »
| Próximo »
| Próximo »
| Próximo »
| Próximo »
| Próximo »
| Próximo »


jorge vaz nande | homepage | del.icio.us | bloglines | facebook | e-mail | ligações |

Novembro 2003 Dezembro 2003 Janeiro 2004 Fevereiro 2004 Março 2004 Abril 2004 Maio 2004 Junho 2004 Julho 2004 Agosto 2004 Setembro 2004 Outubro 2004 Novembro 2004 Dezembro 2004 Janeiro 2005 Fevereiro 2005 Março 2005 Abril 2005 Maio 2005 Junho 2005 Julho 2005 Agosto 2005 Setembro 2005 Outubro 2005 Novembro 2005 Dezembro 2005 Janeiro 2006 Fevereiro 2006 Março 2006 Abril 2006 Maio 2006 Junho 2006 Julho 2006 Agosto 2006 Setembro 2006 Outubro 2006 Novembro 2006 Dezembro 2006 Janeiro 2007 Fevereiro 2007 Março 2007 Abril 2007 Maio 2007 Junho 2007 Julho 2007 Agosto 2007 Setembro 2007 Outubro 2007 Novembro 2007 Dezembro 2007 Janeiro 2008 Fevereiro 2008 Março 2008 Abril 2008 Maio 2008 Junho 2008 Julho 2008 Agosto 2008 Setembro 2008 Outubro 2008 Janeiro 2009 Fevereiro 2009 Março 2009 Maio 2009 Junho 2009 Julho 2009 Agosto 2009