Este blog está encerrado.

O autor continua a publicar em http://jvnande.com.

Se quiser ler uma selecção de textos, clique aqui.

ouçam

Não sou dado a sentimentalismos, nem se deve pensar que o que se segue é moda entre colaboradores, ou ex-colaboradores, d' A CABRA. Mas ontem estive numa sala com quatro pessoas (de uma delas não vou falar; não é por má educação, acho que ela vai compreender). Duas delas davam os últimos pormenores em projectos fotográficos a apresentar ao Concurso Jovens Criadores. Elas, e uma outra das presentes, foram o núcleo duro (duríssimo) da equipa de fotografia que eu organizei quando fui editor da mesma secção n'A CABRA. Não tenho modéstia em dizer que fiz um bom trabalho, porque me limitei a tentar transmitir as minhas noções de bom a quem queria aprender cada vez mais e melhor sobre aquilo - o pouco - que lhes podia ensinar.

Ontem, quando nos vi a todos lá e pensei que uma delas já fez várias, e óptimas, primeiras páginas para um dos maiores diários portugueses, que outra está cada vez mais perto de se tornar uma fotógrafa profissional a tempo inteiro e que outra acabou de começar no Brasil o que, espero, seja uma belíssima carreira como fotojornalista, percebi que chagar-lhes o juízo, pedir-lhes coisas irrealizáveis com os meios de que dispunham, mostrar-lhes coisas novas de que elas pudessem gostar, levá-las aos sites de fotografia que considerava melhores, aconselhar-lhes leituras, emprestar-lhes os meus livros - reparei que tudo isso acabou por ser das coisas mais belas e completas que eu alguma vez fiz. E tudo no espaço de uma pequena sala na Associação Académica de Coimbra, um espaço nulo, insignificante, com magias percebidas por quem lá esteve e que não adianta tentar explicar. O que me comove naquelas três pessoas é o orgulho que elas me permitem sentir, o meu primeiro orgulho, o contentamento de, à minha maneira pequenina e bruta, ter contribuído para que elas chegassem onde estão hoje e sentir-me presente no futuro radioso que sei que as espera. Desculpem-me, F., J. e M., por não ter coragem para vos dizer isto na cara. Sou um tipo desbocado, mas tímido, no fim de contas. Desejo-vos, sinceramente, tudo de bom.

0 Comentários:

Enviar um comentário

<< Home

« Home | Próximo »
| Próximo »
| Próximo »
| Próximo »
| Próximo »
| Próximo »
| Próximo »
| Próximo »
| Próximo »
| Próximo »


jorge vaz nande | homepage | del.icio.us | bloglines | facebook | e-mail | ligações |

Novembro 2003 Dezembro 2003 Janeiro 2004 Fevereiro 2004 Março 2004 Abril 2004 Maio 2004 Junho 2004 Julho 2004 Agosto 2004 Setembro 2004 Outubro 2004 Novembro 2004 Dezembro 2004 Janeiro 2005 Fevereiro 2005 Março 2005 Abril 2005 Maio 2005 Junho 2005 Julho 2005 Agosto 2005 Setembro 2005 Outubro 2005 Novembro 2005 Dezembro 2005 Janeiro 2006 Fevereiro 2006 Março 2006 Abril 2006 Maio 2006 Junho 2006 Julho 2006 Agosto 2006 Setembro 2006 Outubro 2006 Novembro 2006 Dezembro 2006 Janeiro 2007 Fevereiro 2007 Março 2007 Abril 2007 Maio 2007 Junho 2007 Julho 2007 Agosto 2007 Setembro 2007 Outubro 2007 Novembro 2007 Dezembro 2007 Janeiro 2008 Fevereiro 2008 Março 2008 Abril 2008 Maio 2008 Junho 2008 Julho 2008 Agosto 2008 Setembro 2008 Outubro 2008 Janeiro 2009 Fevereiro 2009 Março 2009 Maio 2009 Junho 2009 Julho 2009 Agosto 2009