Este blog está encerrado.

O autor continua a publicar em http://jvnande.com.

Se quiser ler uma selecção de textos, clique aqui.

meanings of life

Há um espaço enorme com silêncio, ouço-o, pressinto-o na fronteira da pele como a vertigem ao pé da água. Estar prestes a cair, ligar as luzes como se se quisesse dizer alguma coisa a alguém, não saber o que marcar e perder-se nos pára-sóis da vertigem: não é opção. O gato gordo vai percorrer as vielas mais uma vez. Vai encontrar mais papéis em avião do que em branco, vai passar ao lado da comida dourada, vai pensar em encontrar-se no caminho: não é opção. O espelho reflecte o quê, pensa ele, e, ao pensar em espelho, pensa em contornar o absurdo de carro e no que o rapaz viu há pouco, um velho a falar de dinheiro, um velho a falar de palavras. A memória, "it's a bitch", pois é, mas ao menos eu sei como dar-lhe a volta - será que sei? Eu gostava de saber o que tu fazes e é admirável, disse a mulher, franjinha-à-beatriz, mas isso não vale um chavo, não faz mal, eu completo. O gato, sim, sempre na viela. Há um homem, costas nuas, ele vigia-o, certifica-se de que nada de desrespeitável acontece. Afinal, são as festas do mundo e é preciso ter cuidado, afinal, tudo está no Sul, não é, o grande sul das coisas todas. E o homem pensa que deve, talvez, punir o pai, sanar o pecado capital na raiz e limpar as crostas das feridas nocturnas. O gato gordo vai percorrer as vielas mais uma vez, eu digo-vos, sublinho-vos a frase com tinta azul nas testas até que seja a vossa dor una,  sana, carbónica e  apostrófica . Andaste a comprar com o passado nada mais do que o direito de dizer homem e mulher, tudo se resume a isso. Apetece insultar-te, filho da puta, filho sujo de um monte de lama e merda, terás sempre dentro de ti aquilo que és, aquilo que és sempre a chamar-te para a razão do que existe, a razão do que se te assemelha. Apetece gritar o teu nome, filho da puta, contar o teu segredo mais sujo, e tu tens segredos sujos, aquilo que nunca contas, os dedos partidos num pátio, era noite e tu não sabias viver muito bem, mas há pior no que dizes, tu sabes.  Revelas e escondes na mesma medida. És um animal. Comes peixes pequenos. Improvisas o futuro só para ti, esqueces-te do monte de escrúpulos, ai a herança, ai a cruz. Para baixo, cabrão. O gato percorre a viela como um junkie com uma anilha, ele sabe tratar de ti, ele sabe tratar de ti, o gato gordo, poderoso, preto, borracho do teu medo, fungagueiro, focinhudo.  Tens medo do quê, afinal? Foda-se. Aprende, sai de ti por um momento, dá uma volta e pára a cantoria, que não posso mais. Pensas em muito, mas és pouco no teu pensar. És um fraco, um cobarde. Venderias a tua carne a um talho se tivesses uma faca - se tivesses uma faca, não te saberias cortar. Estás enredado em tanto de ti que não sabes outra língua, falas em Tipróprio, és ignorante entre os outros. Olha para mim. Foda-se, olha para mim. O gato passa, vê, tenho o reflexo nos olhos. Nunca irás perceber. És fraco demais, vais perder, ele está já onde as tuas palavras não chegam a dizer que és tu e que é adorável. Perdeste o nome, perdeste a língua. Tu não és tu.

3 Comentários:

Blogger rms :) disse...

a forma como descreve a raiva é hilariante... também estou em estado de raiva... mas as palavras não me saem assim. Ficam-me presas ao coração.
Obrigada por escrever assim...

1:25:00 da tarde  
Anonymous Anónimo disse...

És genial jorge. Revi-me nalgumas coisas do teu texto e ks me arrepiei. Boa vida.

Stephane

4:49:00 da tarde  
Blogger tiago pimentel disse...

Grande texto, amiguinho!

11:32:00 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home

« Home | Próximo »
| Próximo »
| Próximo »
| Próximo »
| Próximo »
| Próximo »
| Próximo »
| Próximo »
| Próximo »
| Próximo »


jorge vaz nande | homepage | del.icio.us | bloglines | facebook | e-mail | ligações |

Novembro 2003 Dezembro 2003 Janeiro 2004 Fevereiro 2004 Março 2004 Abril 2004 Maio 2004 Junho 2004 Julho 2004 Agosto 2004 Setembro 2004 Outubro 2004 Novembro 2004 Dezembro 2004 Janeiro 2005 Fevereiro 2005 Março 2005 Abril 2005 Maio 2005 Junho 2005 Julho 2005 Agosto 2005 Setembro 2005 Outubro 2005 Novembro 2005 Dezembro 2005 Janeiro 2006 Fevereiro 2006 Março 2006 Abril 2006 Maio 2006 Junho 2006 Julho 2006 Agosto 2006 Setembro 2006 Outubro 2006 Novembro 2006 Dezembro 2006 Janeiro 2007 Fevereiro 2007 Março 2007 Abril 2007 Maio 2007 Junho 2007 Julho 2007 Agosto 2007 Setembro 2007 Outubro 2007 Novembro 2007 Dezembro 2007 Janeiro 2008 Fevereiro 2008 Março 2008 Abril 2008 Maio 2008 Junho 2008 Julho 2008 Agosto 2008 Setembro 2008 Outubro 2008 Janeiro 2009 Fevereiro 2009 Março 2009 Maio 2009 Junho 2009 Julho 2009 Agosto 2009