Este blog está encerrado.

O autor continua a publicar em http://jvnande.com.

Se quiser ler uma selecção de textos, clique aqui.

o filme: wonder boys

Wonder Boys é um daqueles filmes a que reconheço defeitos, mas que não dá para recusar. Já o devo ter visto dezenas de vezes. Não sei se é pelo Michael Douglas a fazer um papel de falhado charmoso que recusa sexo - o Michael Douglas, meu Deus! -, ainda por cima com a ninfeta Katie Holmes, que agora não se consegue rever sem pensar no sofá da Oprah Winfrey; não sei se é pelo retrato sem-merdas dos charranços e da homossexualidade, talvez, quem sabe, abrindo o caminho a uns Sete Palmos de Terra; não sei se é pelo Robert Downey Jr., pelo burlesco (um travesti, uma tuba, um cão morto, a marca de um rabo no capot de um carro, uma estufa que pode ser o paraíso), pelo modo como o próprio filme simultaneamente é sobre a produção de ficção e a impossibilidade de superar o real, pelo prazer de ver uma adaptação do Steve Kloves pré-Harry Potters (e estes são boas adaptações, mas não lembram tanto os fabulosos Irmãos Baker), pela música do Dylan que ganhou o Óscar - e dou um beijo a quem me encontrar na Internet o vídeo do discurso de aceitação, foi em 2001. A única coisa que me custa no filme é a resolução. Acho que as personagens de Crabtree e James (Downey Jr. e Tobey Maguire) precisavam de mais uma cena, talvez duas, pelo menos um monólogo grandioso de Downey na esquadra - e ele sabe fazê-los.

E, já agora, o Rip Torn, que faz de Q e tem uma deixa com um dos product placements mais hilariantes de sempre (James, inconsciente depois de empurrar um comprimido de codeína com um gole de whisky, é carregado para fora de um bar; Q diz "Do que esse rapaz precisa é duma bela e fresca Coca-Cola!") - esse Rip Torn andou à pancada com o Norman Mailer em 1970 durante a rodagem de um filme. Tentou acertar-lhe na cabeça com um martelo e quem vê o vídeo não pode deixar de pensar duas coisas: primeiro, que ali há psicotrópicos à mistura; segundo, que, para um gajo que andou na Segunda Guerra Mundial, o Mailer bem que parece uma menina a lutar! Ele isso é maneira de se morder uma orelha, senhor Mailer?

0 Comentários:

Enviar um comentário

<< Home

« Home | Próximo »
| Próximo »
| Próximo »
| Próximo »
| Próximo »
| Próximo »
| Próximo »
| Próximo »
| Próximo »
| Próximo »


jorge vaz nande | homepage | del.icio.us | bloglines | facebook | e-mail | ligações |

Novembro 2003 Dezembro 2003 Janeiro 2004 Fevereiro 2004 Março 2004 Abril 2004 Maio 2004 Junho 2004 Julho 2004 Agosto 2004 Setembro 2004 Outubro 2004 Novembro 2004 Dezembro 2004 Janeiro 2005 Fevereiro 2005 Março 2005 Abril 2005 Maio 2005 Junho 2005 Julho 2005 Agosto 2005 Setembro 2005 Outubro 2005 Novembro 2005 Dezembro 2005 Janeiro 2006 Fevereiro 2006 Março 2006 Abril 2006 Maio 2006 Junho 2006 Julho 2006 Agosto 2006 Setembro 2006 Outubro 2006 Novembro 2006 Dezembro 2006 Janeiro 2007 Fevereiro 2007 Março 2007 Abril 2007 Maio 2007 Junho 2007 Julho 2007 Agosto 2007 Setembro 2007 Outubro 2007 Novembro 2007 Dezembro 2007 Janeiro 2008 Fevereiro 2008 Março 2008 Abril 2008 Maio 2008 Junho 2008 Julho 2008 Agosto 2008 Setembro 2008 Outubro 2008 Janeiro 2009 Fevereiro 2009 Março 2009 Maio 2009 Junho 2009 Julho 2009 Agosto 2009