Este blog está encerrado.

O autor continua a publicar em http://jvnande.com.

Se quiser ler uma selecção de textos, clique aqui.

3 comentários atrasados e um ainda a tempo

- (lembrado pelo comentário semanal de Pacheco Pereira ao Jornal da Sic) O deputado Miguel Paiva, do Cds-Pp, expressou a relutância do seu partido em integrar os casos de mutilação genital feminina no art. 144º do Código Penal e a consequente iniciativa legislativa da bancada parlamentar para uma criminalização específica de tal prática baseado no raciocínio de que a importância do clitóris é "algo subjectiva", tendo ele uma função essencial no prazer sexual, mas "para além disso a sua mutilação não afecta nenhuma função vital", nomeadamente "a função reprodutiva". Resume-se a questão a saber se o clitóris pode ser considerado "importante órgão ou membro" e a sua relevância sexual não é, para o Pp, suficiente.
Esqueçamos o "importante". Mesmo que o clitóris possa não ser considerado um "órgão ou membro", parece-me que uma intervenção legislativa é excessiva para algo que se poderia resolver ao nível judicial através de uma extensão pouco arriscada. Pergunto-me, por exemplo, se o deputado se lembrou dos mamilos masculinos. É que são eles, e não o pénis, a parte mais erógena da anatomia masculina, com uma função estritamente sexual: não servem para mais nada que não seja endurecer em resposta ao estímulo sexual. Ora, perguntaria se, imaginando-se o sr. deputado sem camisa e com dois círculos dolorosos e sangrantes no peito, hesitaria em chamar-lhes "importante órgão ou membro".

- O livro de Rebecca Blood, "The Weblog Handbook", foi publicado em Portugal (já há umas semanitas, pelo que vejo: confiei demais numa notícia lida no suplemento Computadores do Público aqui há uns tempos). Conheço bem o site da senhora. Recomendo vivamente.

- A população de Madrid deu ontem um exemplo tutelar de espírito cívico com as manifestações espontâneas à frente da sede do PP de Aznar e Rajoy na Calle Génova. Ilegais, com os peitos negros dos polícias em cima, mas cheias de um quase comovente sentido do justo e de exercício da cidadania.

0 Comentários:

Enviar um comentário

<< Home

« Home | Próximo »
| Próximo »
| Próximo »
| Próximo »
| Próximo »
| Próximo »
| Próximo »
| Próximo »
| Próximo »
| Próximo »


jorge vaz nande | homepage | del.icio.us | bloglines | facebook | e-mail | ligações |

Novembro 2003 Dezembro 2003 Janeiro 2004 Fevereiro 2004 Março 2004 Abril 2004 Maio 2004 Junho 2004 Julho 2004 Agosto 2004 Setembro 2004 Outubro 2004 Novembro 2004 Dezembro 2004 Janeiro 2005 Fevereiro 2005 Março 2005 Abril 2005 Maio 2005 Junho 2005 Julho 2005 Agosto 2005 Setembro 2005 Outubro 2005 Novembro 2005 Dezembro 2005 Janeiro 2006 Fevereiro 2006 Março 2006 Abril 2006 Maio 2006 Junho 2006 Julho 2006 Agosto 2006 Setembro 2006 Outubro 2006 Novembro 2006 Dezembro 2006 Janeiro 2007 Fevereiro 2007 Março 2007 Abril 2007 Maio 2007 Junho 2007 Julho 2007 Agosto 2007 Setembro 2007 Outubro 2007 Novembro 2007 Dezembro 2007 Janeiro 2008 Fevereiro 2008 Março 2008 Abril 2008 Maio 2008 Junho 2008 Julho 2008 Agosto 2008 Setembro 2008 Outubro 2008 Janeiro 2009 Fevereiro 2009 Março 2009 Maio 2009 Junho 2009 Julho 2009 Agosto 2009