Este blog está encerrado.

O autor continua a publicar em http://jvnande.com.

Se quiser ler uma selecção de textos, clique aqui.

coisas de que não gosto em blogs 4

Blogs com música. As excepções são aquelas em que a prosa do blog é menos densa e permite maior desprendimento.

Comigo me desavim,
Sou posto em todo perigo;
Não posso viver comigo
Nem posso fugir de mim.

Com dor da gente fugia,
Antes que esta assi crecesse:
Agora já fugiria
De mim , se de mim pudesse.
Que meo espero ou que fim
Do vão trabalho que sigo,
Pois que trago a mim comigo
Tamanho imigo de mim?
Enzo G. Baldoni, o jornalista italiano há dias assassinado no Iraque, tinha um blog.

Hoje e "As Armas e o Povo" II

O Rui Bebiano lembra-me: comparado com os diálogos dos anúncios a telemóveis, o discurso das pessoas que viviam nas barracas há trinta anos soa a Demóstenes.

Hoje e "As Armas e o Povo" I

O Bruno lembra-me que ontem a loucura do mundo me fez sorrir de ironia quando, entretido a ver um documentário sobre o 1º de Maio de 1974 (no quarto disco da colecção 25 de Abril do Público), ouvi uma mulher a dizer "Pois, o aborto, agora, vai ter de se legalizar". Isto foi há trinta anos.

O barco da organização Women on Waves traz ao de cima, não só a aversão profunda dos sectores mais conservadores da sociedade portuguesa - que, neste momento ou desde sempre, estão muito próximos dos lugares de poder - em relação à despenalização da interrupção voluntária da gravidez, mas também um medo ao estrangeiro mais liberal que, feito demónio, vem para destruir a pacata ordem pública. Estamos assim perante uma pequenez dupla e que, não sendo nossa enquanto indivíduos, ainda é nossa enquanto país.
Por vezes, ao ler o raciocínios e os debates em alguns blogs portugueses, parece-me que, por baixo da crosta do arrazoado, ondula um mar de vaidades feridas e coisas por dizer. Valerá a pena?

pérolas jurídicas do Brasil

meanings of life

O meu argumento de curta-metragem vencedor do Nisimasa 2003 chama-se "Mundo Pequeno", "Small World" em inglês. O presidente do júri que atribuiu esse prémio foi Danis Tanovic, o realizador e argumentista bósnio de "No Man's Land". Um dos actores principais de "No Man's Land" foi Branko Djuric. Ora, Branko Djuric entrou na longa-metragem vencedora do festival de Avanca deste ano. A longa-metragem chama-se "Mali svet" ou, em inglês, "A Small World".

(e, curiosamente, David Lodge também tem um livro chamado "Small World")

no jogo



LORRAINE:I've never seen purple underwear before, Calvin.

MARTY: Calvin, why do you keep calling me Calvin?

LORRAINE: Well that's your name, isn't it? Calvin Klein. it's written all over your underwear.
São dilemas como estes que fazem com que a nossa sociedade democrática ainda nos faça sorrir: o presidente da Câmara de Nova Iorque deixa manifestantes (será a melhor tradução para "protesters"?) incomodados com tantos pezinhos de lã; uma activista pelos direitos das vítimas civis conseguiu fazer vingar os seus pontos de vista depois de uma conversa com Donald Rumsfeld. (via rebecca's pocket)

coisas de que não gosto em blogs 3

Diários que falam somente da vida dos autores como se fosse algo de interessante.
Um blogger argentino que cria algo próximo a uma intranet do ego. Merece a visita.

entro no jogo

SEAN
You've never been out of Boston.

WILL
No.

SEAN
So if I asked you about art you could give me the skinny on every art book ever written...Michelangelo? You know a lot about him I bet. Life's work, criticisms, political aspirations. But you couldn't tell me what it smells like in the Sistine Chapel. You've never stood there and looked up at that beautiful ceiling. And if I asked you about women I'm sure you could give me a syllabus of your personal favorites, and maybe you've been laid a few times too. But you couldn't tell me how it feels to wake up next to a woman and be truly happy. If I asked you about war you could refer me to a bevy of fictional and non-fictional material, but you've never been in one. You've never held your best friend's head in your lap and watched him draw his last breath, looking to you for help. And if I asked you about love I'd get a sonnet, but you've never looked at a woman and been truly vulnerable. Known that someone could kill you with a look. That someone could rescue you from grief. That God had put an angel on Earth just for you. And you wouldn't know how it felt to be her angel. To have the love be there for her forever. Through anything, through cancer. You wouldn't know about sleeping sitting up in a hospital room for two months holding her hand and not leaving because the doctors could see in your eyes that the term "visiting hours" didn't apply to you. And you wouldn't know about real loss, because that only occurs when you lose something you love more than yourself, and you've never dared to love anything that much. I look at you and I don't see an intelligent confident man, I don't see a peer, and I don't see my equal. I see a boy. Nobody could possibly understand you, right Will? Yet you presume to know so much about me because of a painting you saw. You must know everything about me. You're an orphan, right?

Will nods quietly.

SEAN (cont'd)
Do you think I would presume to know the first thing about who you are because I read "Oliver Twist?" And I don't buy the argument that you don't want to be here, because I think you like all the attention you're getting. Personally, I don't care. There's nothing you can tell me that I can't read somewhere else. Unless we talk about your life. But you won't do that. Maybe you're afraid of what you might say.

Um site de encontros com jogos que avaliam da nossa perspicácia para identificar quem é homossexual ou virgem. De mau gosto? Talvez, mas também divertidíssimo.

mais tarde recordar

A escolha do objecto, um dos elementos da harmonia da forma, deve ser decidida apenas por uma vibração correspondente na alma humana.
Há oito anos, ouvi esta citação de Kandinsky em "Six Degrees of Separation".

relapso de língua

Manuel Silva é um atleta português que ficou em antepenúltimo numa eliminatória dos 3000 metros. Pôs as culpas no Comité Olímpico Português, mas retractou-se. O jornalista da Rtp perguntou-lhe
- É o seu discurso de "mea culpa"?
e Silva respondeu
- Não, culpa total.
o que me lembra do irmão de um amigo, gozado pelos colegas porque achava que 'bode expiatório' não tinha nada a ver com espionagem.

sobre a morte

Construção, de Chico Buarque; Fim, de Mário de Sá-Carneiro; Dor, de C.S Lewis; Hieronymus Bosch.
O Público publicou hoje no Y uma série de artigos sobre a música de Coimbra e a grande Ruc. Os meus amigos (e colegas, se é que me percebem) Daniel Marques Pinto e Hugo Ferreira são entrevistados.

E esta, hein?

Em 2000. o produtor James Schamus dizia na Filmmaker de Primavera:

As responsible citizens of the new global media imperium, we should (…) redefine media companies in the public service, even if that means fighting to limit their total hegemony over the marketplace of ideas. Otherwise, we may soon live in a world where we are free to say anything, but where the cost of reaching out to anyone who can afford to hear us will be beyond prohibitive.
Em 2002, a sua produtora, a Good Machine, foi comprada pela Universal e rebaptizada Focus Features. Ele manteve-se como um dos presidentes.

Coisas de que não gosto em blogs 2

O blog é uma página na internet, não é um monumento grego. Porquê apagar o blog quando se quer deixar de escrever? Se já está escrito, deixe-se ficar escrito; se há frases que causam embaraço (namoros acabados, mudanças de opinião), apaguem-se ou corrijam-se os posts.

Coisas de que não gosto em blogs 1

Querer ter opinião formada sobre cada nova notícia que sai, cada novo disco que é lançado, cada novo livro lido. Para mim, o blog deve reflectir o pessoal e não é isso o que sucede quando se escreve como se para um jornal diário.
Uma recomendação: ouvir isto a pensar no Levanta-te e Ri.
Kimberly's Tool of Procrastination, It's Rude To Point, Un dia, una vida, PurpleLighteningStrikes, Zac Attack, Fotos da Borboleta. Blogs que chegaram aqui através da nova NavBar do Blogger. Atenção também ao lusíssimo e excelente puBlog.
Óptimos textos no rebecca's pocket: uma comparação entre os estilos de campanha de Dick Cheney e John Edwards; uma resenha sobre a evolução do populismo; um extenso texto sobre o que é afinal o conservadorismo; um artigo certeiro, incómodo e mesmo quase pungente de Howard Dean, comparando a crise do Iraque com a situação actual no Sudão.
O Dn noticia hoje:

VENCEDOR DO 'BIG BROTHER' TENTOU ATIRAR-SE DE PONTE

O vencedor do primeiro concurso Big Brother , Zé Maria, tentou atirar-se da Ponte 25 de Abril na madugada de domingo, segundo noticiou o Correio da Manhã.

O jornal contou que Zé Maria foi impedido de saltar por dois militares da Brigada de Trânsito que conversaram com ele durante 45 minutos e conseguiram demovê-lo.

O jovem tinha estacionado o carro no tabuleiro da Ponte e desceu uma das escadas que dão acesso à linha férrea, no tabuleiro inferior da travessia.Depois de retirado do local, Zé Maria foi transportado para o Hospital Garcia de Orta, pelos Bombeiros Voluntários de Almada. Chegado ao hospital o vencedor do Big Brother foi transferido para o Curry Cabral, em Lisboa, de onde teve alta.

Zé Maria não quis explicar as razões que o levaram na madrugada de domingo a pensar em suicídio.

Fonte da Brigada de Trânsito confirmou ao DN a ocorrência, e explicou que o facto de Zé Maria ter sido transportado para o hospital é um procedimento legal.

A lei exige que as pessoas que tenham comportamentos suicidas sejam submetidas a exames médicos do foro psiquiátrico.

Será demasiado violento lembrar que a música do genérico do Big Brother se chamava "Vive"?
Não é preciso muito mais do que isto (e, realmente, não há muito mais na net: só estas canções, que não são lá grande coisa) para provar que Earl Okin é um génio.

sensacional de blogs

Uma bela revista mexicana sobre blogs (via 3 demonios Enjaulados)
Confesso: não gosto nada da fatia do espírito português que nos leva sempre a procurar vítimas portuguesas em acidentes no estrangeiro e a vasculhar as árvores geneológicas de toda a gente que aparece na televisão só para descobrirmos que um dia já fomos donos ou criados do mundo.

Confesso: está-me a dar um gozo do caraças ouvir um solo de saxofone de seis minutos, tocado em Newport em 1956, e saber que o homem que deste modo conseguiu reavivar a carreira da big band de Duke Ellington começou por aprender canções populares portuguesas à guitarra. Paul Gonsalves, filho de cabo-verdianos, açoreanos ou ambos.
Em toda esta salganhada de ilicitudes que começa em quem falou e acaba em quem publicou (passando por quem roubou), espanta-me como ainda não chamaram o Taveira para comentar. Afinal, não deve haver em Portugal quem perceba mais de cassetes.
Cheguei a pensar que era impossível, mas ando a trabalhar um texto que deixei pendurado há já quase um ano. As palavras saem-me, as personagens vão crescendo, as situações vão-se desenvolvendo. Pela primeira vez, parece-me, uma história esperou por mim.
Leio a data do último post. Segunda 9, segunda 9, segunda 9. Para mim, o Agosto é um borrão de tempo.
(após leitura da entrevista à última Pública)

Não percebo como, num álbum tão medíocre como é "Tempo" (maldição do segundo disco, enfim...), Abrunhosa conseguiu arrancar a si mesmo a canção "Será".
Aproveito as férias para ler. Quem quiser a Poética de Aristóteles (em inglês...), pode encontrá-la aqui.


A picture is taken at 1/125 of a second. What do you know of a photographer's work? Let´s say 125 photographs. Well, it's a body of work. That comes out to, all told, one second. Let's say more, like 250 photographs. That would be a rather large body of work. And that would come out to 2 seconds. The life of a photographer, even of a great photographer, as they say: 2 seconds.
Hoje o Vergílio Ferreira falou de padrinhos na maneira em que eu tinha conversado ontem, Houaiss disse que "cróia" é uma palavra de origem pré-romana, o Brian Wilson pediu para lhe porem a cabeça no ombro e o Daniel Johnston explicou que o Diabo instalou uma cadeira eléctrica no Inferno para que as almas descansassem.
Em seguida, os foguetes da festa santa incendiaram solo pagão, um cão matou uma galinha que ainda há poucos dias tinha feito uma viagem curta e uma rapariga com a primeira comunhão feita andou de mota ao lado de uma igreja.

Férias aborrecidas? Not for me.
Coca-Cola. Primeiro estranha-se, depois entranha-se.

balanço de uma primeira noite com adsl



Dos Stooges, conhecia a história, "Dirt" e "No Fun". Agora tenho três álbuns.

I had no reason to be over optimistic,
But somehow when you smiled I could brave bad weather.

("1921")

ditadura na Madeira


No Telejornal de hoje: deposto pela "revolução melancia" de Fidel, Guevara e Cienfuegos, Fulgencio Batista refugiou-se no Funchal, no hotel Reid’s Palace.

Há pouco, recebi uma mensagem de um amigo. Dizia “já não tenho ídolos vivos”.
No que me toca, morreu o fotógrafo cuja obra foi a primeira a tocar-me (assim mesmo: tocar-me) e que me levou a apreciar, aprender, discutir e fazer fotografia. Em suma, a influência para ter vivido alguns anos da minha vida de uma determinada maneira. Que descanses em paz, Cartier-Bresson.
No início do jogo Portugal-Paraguai, fez-se silêncio pelos mortos na tragédia do centro comercial. Durante este momento, a câmara enquadrou meia dúzia de raparigas. Aguentavam um riso, pondo a mão à frente da boca.

Aqui, ou se critica a falta de bom senso e de postura das adolescentes ou se louva o irromper incontrolável da espontaneidade por entre uma farsa que serve tanto para promover a aceitação do espectáculo desportivo como a contratação de jogadores-manequim para vender camisolas.

Sinceramente, não sei o que será melhor.
Hoje, depois de quase uma semana de férias afastadas, regressei a um período de férias aproximadas. Abri a página do “Público” e li a primeira página de hoje.

- Mais de Metade dos Alunos Chumbam no 12º Ano
- Fraude Fiscal de 33,7 Milhões de Euros
- PS: Troca de Insultos Entre Candidaturas
- Campeão Nacional de Ciclismo Apanhado pelo "Doping"
- Centenas de Prédios em Risco de Ruir em Lisboa.

A minha primeira reacção foi fugir. No entanto, esperei até ao Telejornal e reparei que a Câmara de Lisboa instalou numa residencial os inquilinos do prédio desabado.

É claro que, sendo assim, fico em Portugal. Não renunciarei a abrir um hotel na capital. Assinarei um contrato de exclusividade com a Câmara. Com centenas de prédios a ruir, há afinal esperança. E, com sorte, apanho vítimas de incêndios também. Porreiro. Este país está cheio de oportunidades.
« Home | Próximo »
| Próximo »
| Próximo »
| Próximo »
| Próximo »
| Próximo »
| Próximo »
| Próximo »
| Próximo »
| Próximo »


jorge vaz nande | homepage | del.icio.us | bloglines | facebook | e-mail | ligações |

Novembro 2003 Dezembro 2003 Janeiro 2004 Fevereiro 2004 Março 2004 Abril 2004 Maio 2004 Junho 2004 Julho 2004 Agosto 2004 Setembro 2004 Outubro 2004 Novembro 2004 Dezembro 2004 Janeiro 2005 Fevereiro 2005 Março 2005 Abril 2005 Maio 2005 Junho 2005 Julho 2005 Agosto 2005 Setembro 2005 Outubro 2005 Novembro 2005 Dezembro 2005 Janeiro 2006 Fevereiro 2006 Março 2006 Abril 2006 Maio 2006 Junho 2006 Julho 2006 Agosto 2006 Setembro 2006 Outubro 2006 Novembro 2006 Dezembro 2006 Janeiro 2007 Fevereiro 2007 Março 2007 Abril 2007 Maio 2007 Junho 2007 Julho 2007 Agosto 2007 Setembro 2007 Outubro 2007 Novembro 2007 Dezembro 2007 Janeiro 2008 Fevereiro 2008 Março 2008 Abril 2008 Maio 2008 Junho 2008 Julho 2008 Agosto 2008 Setembro 2008 Outubro 2008 Janeiro 2009 Fevereiro 2009 Março 2009 Maio 2009 Junho 2009 Julho 2009 Agosto 2009