Este blog está encerrado.

O autor continua a publicar em http://jvnande.com.

Se quiser ler uma selecção de textos, clique aqui.

cinquenta e três parêntesis

Este texto é a minha contribuição para A Cabra de hoje, número especial de férias.

1.
já estava farto de vê-la passar a passar a sempre mesma hora saia muito mini nos meses de verão as camisas com cores de nomes novos fúchsia e coisas choque o andar ternário um dois três a prometer-me coisas desconhecidas coisas novas de outro sexo e farto de vê-la passar como a dar-me bofetadas cheias de mulher na cara abri a porta de casa e o andar ternário dela um dois três e chamei olha tu porque passas todos os dias como se não houvesse mais lugares bons para passares e apesar do tudo na minha puberdade te agradecer os altos e baixos de nervosismo começam-me a doer cheios de mulher na cara e ela parou uma parou duas e às três re andou e eu entrei na casa e nos dias seguintes àquela hora havia silêncio e eu com remorsos das minhas palavras passei a encher a mesma hora com músicas antigas e para nunca mais ternárias.

2.
ele compreende não o que faço à noite quando vou sozinha à casa de banho ele incapaz e parece que feito de tudo menos do que preciso quereres que não se tocam compram ou medem ele é uma pergunta não ele é uma declaração solta no mundo as costas dele suadas à noite quando vou sozinha à casa de banho dizem o que ele é ele é uma frase sozinha a dizer-se sozinha ele é um rochedo solto do mundo a rebolar e ele não saberá o que são os pêlos que me nascem nas pernas a cor real do meu cabelo o mau cheiro e o quente longo do meu sangue ele não saberá porque eu vou nua à casa de banho a meio da noite enquanto ele dorme e o suor dele ressona e o resto dele é dele demais para fazer perguntas.

3.
calma cada um estamos os dois no seu lado da rua e até nos cruzarmos o sol ainda vai alto e demora a descer ela calma julgo que vem como e eu vejo como pele e há uma e outra velha lenta que passam também mas a linha entre nós está traçada e eu cabelo cabelo ela olhos tapados nós os dois e arriscarei talvez um aceno arriscarei um sentir-me importante e sorrir ela demorará a quebrar eu sem desistir e o sol desce e nós mais perto eu sozinho ela não sei vamo-nos encurtando um do outro vamo-nos pressentindo mas pode ser ocorre-me que ela puta presumida que me aprecie na medida do desprezo e pode ser ocorre-me que eu menos do que quero e me vai apetecer nela e a distância entre nós cada vez menos e há o momento em que é menor mas eu afasto o rosto ela afasta o rosto e o modo da distância desdobra-se e eu ela fomos adeus um para o outro.

4.
e eu dele já estou farta mas agora estranho agora o momento parece que não sou eu nem ele tudo foi mudou e agora importa pouco não saber o que será melhor ou pior ou a falta de nos tocarmos e as bocas que não se encostam o que importa é só ele não sabe responder ao que eu não lhe sei perguntar e esse é o ponto final eu e ele sentados eu não falo ele não já nos sabemos e não pouco há a dizer portanto e eu dele já estou farta ele também de mim dele o silêncio é nosso filho e pode ser que as coisas mudem mas eu não acredito porque um num outro amamos o que é vil e baixo e mau e nunca mais eu sei que nunca mais por isso é o nunca mais entre nós o haver flores entre eu e ele e eu.

0 Comentários:

Enviar um comentário

<< Home

« Home | Próximo »
| Próximo »
| Próximo »
| Próximo »
| Próximo »
| Próximo »
| Próximo »
| Próximo »
| Próximo »
| Próximo »


jorge vaz nande | homepage | del.icio.us | bloglines | facebook | e-mail | ligações |

Novembro 2003 Dezembro 2003 Janeiro 2004 Fevereiro 2004 Março 2004 Abril 2004 Maio 2004 Junho 2004 Julho 2004 Agosto 2004 Setembro 2004 Outubro 2004 Novembro 2004 Dezembro 2004 Janeiro 2005 Fevereiro 2005 Março 2005 Abril 2005 Maio 2005 Junho 2005 Julho 2005 Agosto 2005 Setembro 2005 Outubro 2005 Novembro 2005 Dezembro 2005 Janeiro 2006 Fevereiro 2006 Março 2006 Abril 2006 Maio 2006 Junho 2006 Julho 2006 Agosto 2006 Setembro 2006 Outubro 2006 Novembro 2006 Dezembro 2006 Janeiro 2007 Fevereiro 2007 Março 2007 Abril 2007 Maio 2007 Junho 2007 Julho 2007 Agosto 2007 Setembro 2007 Outubro 2007 Novembro 2007 Dezembro 2007 Janeiro 2008 Fevereiro 2008 Março 2008 Abril 2008 Maio 2008 Junho 2008 Julho 2008 Agosto 2008 Setembro 2008 Outubro 2008 Janeiro 2009 Fevereiro 2009 Março 2009 Maio 2009 Junho 2009 Julho 2009 Agosto 2009