Este blog está encerrado.

O autor continua a publicar em http://jvnande.com.

Se quiser ler uma selecção de textos, clique aqui.

O que é que o blog tem?

No blog, eu falo sobre o que me apetece, mas não como me apetece. Ou seja, eu falo de algo que, eventualmente, poderá vir a ter interesse para alguém, quanto mais não seja para mais tarde eu me rir de mim próprio. Haverá autocrítica mais divertida e, ao mesmo tempo, mais destrutiva do que aquela que se faz quando se lê uma redacção que se escreveu na escola primária? O blog serve para me historiar a mim mesmo, mas cumprindo uma (pequena, quase invisível, mas que está lá) responsabilidade para com outros, que dá o empurrão.

E esse é um assunto que nunca consegui evitar, o eu mesmo. Descobrir-se é fascinante. Como o exercício em relação ao presente, ao que se é, me parece uma questão bastante dúbia, enganosa, uma diversão fanada - mas eu falo com a fenomenologia d’ “A Câmara Clara” toda bem engolida... vou reformular. Não posso confessar que não me fascina a possibilidade de um dia me poder ler como quem lê uma personagem de ficção. Aceito: é uma fraqueza da minha parte, poder-se-lhe-ia chamar uma evasão da realidade. Mas, ao fim de contas, porque leio eu livros e vejo filmes? Para mais nada que não seja aquele sentimento de conclusão, de palavra dita, acabada, toda, no fim do que acaba. O filme e o livro permitem a certeza na emoção, uma geometria do sentimento. Sou mais desconfiado em relação às artes plásticas, que, para mim, são pequenos jogos, pequenas brincadeiras; respeito, leio-as, mas não as consigo sentir como minhas ou sentir-me parte delas. Entretanto, ponho a fotografia no meio, e algo há nela que me fascina tanto. Lá irei um dia.

No blog, posso falar de tudo, responsável e irresponsável. Espero que cada vez menos o leiam, embora me custe que as estatísticas estejam a descer, o que só significa que eu próprio tenho ido lá menos vezes. Menos pessoas a lerem-no significa mais liberdade, mas eu quero que se interessem.

Ou seja: uma pessoa não é uma certeza? Nunca acreditei nisso; eu sou uma pessoa. A contradição existe e fala.

O blog dá-me para estar em todo o lado a toda a hora. As pessoas podem ouvir-me e eu quero que sintam a necessidade de me ouvirem – mas não quero que tenham de me ouvir. Ou seja, eu quero que elas sintam a necessidade de ler tal como eu tenho necessidade de escrever. O sentimento delas e o meu devem ser absolutamente equivalentes, originais e únicos, vindos de dentro e de nenhum lado do de fora.

E há coisas que não posso pôr em mais lado nenhum a não ser aqui, e isso agrada-me. O blog ajuda a fixarmo-nos – a assumirmos algo do que somos - imediatamente. É destino supletivo para o pensamento órfão. É catálogo de devaneios e diletantismos. É uma colecção de emanações secundárias da alma. E isso não é mau. Uma vez, em relação a algo que aqui não vem ao caso, eu disse que os pormenores não interessam; uma amiga corrigiu-me – eles devem interessar, porque as coisas distinguem-se por eles, não pelo resto.

Pensando bem, não somos todos pormenores de pessoa?
« Home | Próximo »
| Próximo »
| Próximo »
| Próximo »
| Próximo »
| Próximo »
| Próximo »
| Próximo »
| Próximo »
| Próximo »


jorge vaz nande | homepage | del.icio.us | bloglines | facebook | e-mail | ligações |

Novembro 2003 Dezembro 2003 Janeiro 2004 Fevereiro 2004 Março 2004 Abril 2004 Maio 2004 Junho 2004 Julho 2004 Agosto 2004 Setembro 2004 Outubro 2004 Novembro 2004 Dezembro 2004 Janeiro 2005 Fevereiro 2005 Março 2005 Abril 2005 Maio 2005 Junho 2005 Julho 2005 Agosto 2005 Setembro 2005 Outubro 2005 Novembro 2005 Dezembro 2005 Janeiro 2006 Fevereiro 2006 Março 2006 Abril 2006 Maio 2006 Junho 2006 Julho 2006 Agosto 2006 Setembro 2006 Outubro 2006 Novembro 2006 Dezembro 2006 Janeiro 2007 Fevereiro 2007 Março 2007 Abril 2007 Maio 2007 Junho 2007 Julho 2007 Agosto 2007 Setembro 2007 Outubro 2007 Novembro 2007 Dezembro 2007 Janeiro 2008 Fevereiro 2008 Março 2008 Abril 2008 Maio 2008 Junho 2008 Julho 2008 Agosto 2008 Setembro 2008 Outubro 2008 Janeiro 2009 Fevereiro 2009 Março 2009 Maio 2009 Junho 2009 Julho 2009 Agosto 2009