Este blog está encerrado.

O autor continua a publicar em http://jvnande.com.

Se quiser ler uma selecção de textos, clique aqui.

porque é que eu não votarei em cavaco silva

Não sou dado a partidarismos, nem vejo o mundo como um bolo partido em fatias de grupos. Que partidos apoiarão Soares, que partidos apoiarão Cavaco, que Esquerda contra que Direita, nada disso me importa. As pessoas têm a memória curta. E eu podia ter só quinze anos quando Guterres rendeu Cavaco, mas lembro-me de como a sucessão foi sentida: como uma mordaça que se soltou, como um peso tirado de cima dos ombros. Foi com Cavaco que eu vi cargas policiais sistemáticas a manifestações pacíficas, foi com Cavaco que eu vi um governo a definir para o futuro o que é feder a arrogância de maioria absoluta, foi com Cavaco que eu vi a cultura a ser presa num colete de forças chamado património.
Marcelo Rebelo de Sousa disse que agora o que importa é a Economia, não a Política, como antigamente, e que nós precisamos é de um presidente que perceba de Economia. Gostava de saber o que vai fazer Cavaco com a sua Economia quando se sentar numa cadeira do Palácio de Belém e tiver de decidir sobre vetar ou não o diploma legal sobre a interrupção voluntária da gravidez. Quem tem de saber de Economia é o Ministro da Economia, o das Finanças, o Governador do Banco de Portugal, o Primeiro-Ministro. Um Presidente só precisa de saber de Economia tanto como precisa de saber de tudo o mais, porque o que o Presidente faz é fazer cumprir a Constituição e, com a ajuda do seu Conselho, interpretar o funcionamento do Estado (a, tão falada há uns meses, "garantia do regular funcionamento das instituições democráticas" - para quem quiser, o art. 120º e seguintes da Constituição).
E como representará Cavaco este papel? Todos lhe reconhecem a competência técnica, mas, aqui, não é o que mais importa. Cavaco será um técnico competente a desempenhar um cargo em que o que mais importa é seguramente a sua sensibilidade política, e essa é autoritária. É possível que Cavaco tenha mudado, mas eu não acredito. E, mesmo que acreditasse, por tudo aquilo que Cavaco fez, por tudo o que deixou de fazer e pelo seu comportamento enquanto o fez, só poderia chegar a uma conclusão: Cavaco Silva não merece ser Presidente da República.

9 Comentários:

Anonymous Anónimo disse...

Não poderia estar mais de acordo contigo.
Os Governos de Cavaco, principalmente os de maioria, foram uma autêntica DITADURA, pois o Senhor arrogante, arrogava-se detentor da verdade e queria, exigia que todos o seguissem, pois nunca se enganava.
ANOS HORRIBILES estes, não querendo eu nunca mais ver semelhante pessoa no meu Horizonte Visual e Auditivo.

1:13:00 da tarde  
Anonymous Anónimo disse...

encontrei aqui sintetizados e bem descritos alguns dos motivos que me levam a recusar um voto em Cavaco, a não me congratular com a candidatura de Soares e a lamentar a desistência de Alegre...

9:38:00 da tarde  
Anonymous a.castro disse...

Cavaco, talvez pelo demasiado tempo que esteve à frente do governo (mas não só, evidentemente...), foi o político que mais me marcou pela negativa.Eu tinha-lhe tal asco (a palavra é feia mas "saíu-me") que nunca mais esqueço a cena dele a babar-se também de bolo-rei, na rua, enquanto (não)falava para os jornalistas, em tempo de campanha...
Ainda hoje vejo alguns murais, aqui e ali, género "Cavaco, rua!".
Foi o político que mais murais mereceu, mesmo no "pacato" norte de Portugal, por exemplo P. de Lima!

11:13:00 da tarde  
Anonymous Hilário Jesus disse...

Da mesma maneira se pode apontar a Cavaco os erros e postura durante a sua governação, pode-se-lhe atribuir o mérito de ter sido o melhor primeiro ministro até a data, após o 25 de Abril. Só erra quem lá está. Sinceramente prefiro alguém arrogante mas íntegro, do que um bom jogador político que em Portugal tanto se valoriza. Infelizmente os que nada fazem além de agradar aos compinchas e não chocar com os interesses instalados, são mais valorizados por alguma classe intelectual deste país.
Até concordo que não basta perceber de economia. Mas Cavaco também já se mostrou atento à situação política por várias vezes. Um dos episódios mais recentes, a título de exemplo, foi o grito de alerta que deu a Sampaio para correr com Santana.

4:26:00 da tarde  
Blogger Paulo Aroso Campos disse...

E o Soares merece (merecia)?
Acho estranho o medo que as pessoas têm do Cavaco, como se uma nova ditadura aí viesse, como se não houvesse salvaguarda da constituição e das instituições! Preocupa-me mais que o partido que está no governo apoie um candidato velho, que já foi presidente por 10 anos, só para ter alguma hipótese de ganhar uma eleição, do que o Cavaco Silva, idolatrado ou odiado, chegue a presidente.
Bastam dois tópicos: a idade de reforma e as voltas ao mundo dadas por Soares...

5:44:00 da manhã  
Anonymous jorge disse...

Se esse medo existe, o culpado é o próprio Cavaco, mais ninguém. E Soares não é o meu candidato ideal, mas preferirei sempre a sua velhice à veia autoritária de meia-idade de Cavaco.

3:21:00 da tarde  
Anonymous Nuno Ferreira disse...

Hoje, dia 21 de Outubro, ouvi um sujeito a dizer que o Cavaco era o rosto do salazarismo em Portugal após o 25 de Abril.
Bolas, tenho que concoprdar com ele!

3:58:00 da tarde  
Blogger gaspar disse...

The era known as “cavaquismo” was something that I can only describe as an age of arrogance, intolerance and mediocrity. I remember it quite well, because I was a young man and was terrible depressed with the society where I lived in. This was a society where to be different meant to be outcaste, where the minimal common denominator ruled in all aspects of existence. I’ll never forget that decade of misery, of felling that I didn’t “belong”, that cavaquismo was suffocating me.
Because of that I salute all who are intent on stopping his Return!

Um grande bem-aja

1:47:00 da tarde  
Anonymous Anónimo disse...

Cavaco Silva? esse bastião de honestidade, sentou em 92/93 o genro na presidência da Rádio Comercial, ex-Rádio Clube Português, a única Rádio que foi nacionalizada em Portugal, e fê-lo, assim que soube que a família antiga proprietária e accionista se preparava para a adquirir por OPV. Mais, arranjou um testa de ferro, o empresário Carlos Barbosa,"amigo" da familia, (como se Carlos Barbosa pudesse ser amigo de alguém) que por motivos de "gratidão" ao velho patriarca da dita família, se ofereceu para entrar com a mesma na operação. No dia da OPV, Carlos Barbosa, anuncia que se candidata "só", e depois de conhecer todos os meandrosda operação e do crédito que a Banca concederia à familia ex-proprietária e a ele próprio, para a realização da operação. Apesar de em 19 anos o Rádio Clube Português, ter sido totalmente delapidado, expoliado e roubado, pelas diversas administrações públicas, o limite d familia com Carlos Barbosa, era de 1 milhão de contos para a aquisição. No dia da OPV, Carlos Barbosa entra sózinho, e compra por 1 milhão e 200 mil contos. Nomes como, António Marta que informou Cavaco Silva do interesse da família em recuperar a Rádio, e Oliveira e Costa, que no BNU, preparou o crédito, constam nesta história. Poucos anos depois, os convenientes e legais, para que pudesse ser "revendida", Carlos Barbosa,vende a Rádio Comercial, ex- rádio Clube Portugês. A QUEM? é uma Sociedade anónima, mas o genro de Cavaco continua lá sentado na presidência, e isto diz TUDO, tendo-se apropriado da obra valiosa de alguém que a havia pensado para dar um "complemento" monetário a pequenos accionistas.
É bom ter "Pápás" no poder, mais a mais quando todos os julgam "inquestionáveis". Aliás o sr. cavaco, afirma que isto ou aquilo "é verdade" porque "ele o diz", e pronto, está resolvido. O resto desta história é muito triste, porque o que cavaco fez depois, a um membro da família proprietária, temendo que se tornasse público o "embuste", são factos que um dia virão a lume. Terá que ser feito, o povo não pode deixar de conhecer quem é esta criatura.
C.A.Dias

11:05:00 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home

« Home | Próximo »
| Próximo »
| Próximo »
| Próximo »
| Próximo »
| Próximo »
| Próximo »
| Próximo »
| Próximo »
| Próximo »


jorge vaz nande | homepage | del.icio.us | bloglines | facebook | e-mail | ligações |

Novembro 2003 Dezembro 2003 Janeiro 2004 Fevereiro 2004 Março 2004 Abril 2004 Maio 2004 Junho 2004 Julho 2004 Agosto 2004 Setembro 2004 Outubro 2004 Novembro 2004 Dezembro 2004 Janeiro 2005 Fevereiro 2005 Março 2005 Abril 2005 Maio 2005 Junho 2005 Julho 2005 Agosto 2005 Setembro 2005 Outubro 2005 Novembro 2005 Dezembro 2005 Janeiro 2006 Fevereiro 2006 Março 2006 Abril 2006 Maio 2006 Junho 2006 Julho 2006 Agosto 2006 Setembro 2006 Outubro 2006 Novembro 2006 Dezembro 2006 Janeiro 2007 Fevereiro 2007 Março 2007 Abril 2007 Maio 2007 Junho 2007 Julho 2007 Agosto 2007 Setembro 2007 Outubro 2007 Novembro 2007 Dezembro 2007 Janeiro 2008 Fevereiro 2008 Março 2008 Abril 2008 Maio 2008 Junho 2008 Julho 2008 Agosto 2008 Setembro 2008 Outubro 2008 Janeiro 2009 Fevereiro 2009 Março 2009 Maio 2009 Junho 2009 Julho 2009 Agosto 2009