Este blog está encerrado.

O autor continua a publicar em http://jvnande.com.

Se quiser ler uma selecção de textos, clique aqui.

O porreiro que há nisto de se trabalhar ao computador é que permite que se vão ouvindo as coisas que estão a dar na televisão ali ao lado com menos (pouco frequente) ou mais (ya, é isso) atenção. Agora mesmo, por exemplo, a RTP mostra uma reportagem feita numa aldeia do xisto sobre uma mísera menina de 8 anos que só tem 8 vizinhos. E eu nem deveria ter visto semelhante coisa, pois no peito de cada pessoa que mora na cidade há um coração.

(claro, dentro do peito de cada aldeão também, mas é gente que passa tanto tempo nas cortes com os bichos e a sorver tanto ar puro que bem pode gerar um potente, saudável e suínico coração)

Sim, a minha alma sofre por aquela criatura, principalmente quando penso que, se a reportagem fosse sobre ingleses que vão viver para uma casinha escondida na costa vicentina ou uma família lisboeta que retorna ao Alto Minho da infância para passar a reforma em paz ou sobre os artistas e freaks que escolhem voluntariamente o mesmo xisto da Lousã para viver sem que lhes fodam a cabeça, a aldeia já era um lugar paradisíaco, que não estava ao alcance de qualquer um e ao qual seria impossível aceder.

Talvez se se construísse um empreendimento de luxo na Lousã e uma cambada variegada de ex-administradores de empresas, ex-ministros e outros ex com caminho livre para uma reforma de uma vida inteira de chuchice fossem para lá morar em casas de milenas de eurecos, talvez aí a aldeia da menina já valesse a pena. Pelo menos, o pai dela teria pessoas para quem trabalhar. Porque, para construir o empreendimento, os campos iam-lhe ao ar, é claro.

2 Comentários:

Blogger Acordem disse...

Convido-te a visitares o meu blog: http://acordem-acordem.blogspot.com/
Passa a palavra.
Obrigada.

1:39:00 da tarde  
Anonymous Anónimo disse...

Ouçam a nova música da Banda Zé Ninguém:

Corrupção

Corrupção em Portugal
Não vai nada nada mal
Este país é a loucura
Está pior que uma ditadura

O governo é uma piada
Nem o circo tem tanta palhaçada
Este país à beira mar
Vamos todos afundar

Por isso eu digo não
Por isso eu digo não
À corrupção
À corrupção

E depois, quem vai pagar!
Andamos todos a brincar!
Nem o gato nem o cão!
Eu aposto um milhão

Autarquia fraudulentas
Presidentas pestilentas
Sabem de quem estou a falar
Ou é preciso explicar?

Senhoras e senhores:
Bem vindos a Portugal!
O País mais corrupto da Europa!
Mais corrupto da Europa!
Não tenha medo, aqui ninguém vai preso!
Ninguém vai preso!
Mais corrupto da Europa!
Mais corrupto da Europa!

Este país é uma demência
É uma grande decadência
Autarquia fraudulentas
Presidentas pestilentas

E depois, quem vai pagar!
Andamos todos a brincar!
Nem o gato nem o cão!
Eu aposto um milhão

Por isso eu digo não
Por isso eu digo não
À corrupção
À corrupção

Banda Zé Ninguém
www.myspace.com/bandazeninguem

2:57:00 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home

« Home | Próximo »
| Próximo »
| Próximo »
| Próximo »
| Próximo »
| Próximo »
| Próximo »
| Próximo »
| Próximo »
| Próximo »


jorge vaz nande | homepage | del.icio.us | bloglines | facebook | e-mail | ligações |

Novembro 2003 Dezembro 2003 Janeiro 2004 Fevereiro 2004 Março 2004 Abril 2004 Maio 2004 Junho 2004 Julho 2004 Agosto 2004 Setembro 2004 Outubro 2004 Novembro 2004 Dezembro 2004 Janeiro 2005 Fevereiro 2005 Março 2005 Abril 2005 Maio 2005 Junho 2005 Julho 2005 Agosto 2005 Setembro 2005 Outubro 2005 Novembro 2005 Dezembro 2005 Janeiro 2006 Fevereiro 2006 Março 2006 Abril 2006 Maio 2006 Junho 2006 Julho 2006 Agosto 2006 Setembro 2006 Outubro 2006 Novembro 2006 Dezembro 2006 Janeiro 2007 Fevereiro 2007 Março 2007 Abril 2007 Maio 2007 Junho 2007 Julho 2007 Agosto 2007 Setembro 2007 Outubro 2007 Novembro 2007 Dezembro 2007 Janeiro 2008 Fevereiro 2008 Março 2008 Abril 2008 Maio 2008 Junho 2008 Julho 2008 Agosto 2008 Setembro 2008 Outubro 2008 Janeiro 2009 Fevereiro 2009 Março 2009 Maio 2009 Junho 2009 Julho 2009 Agosto 2009